Bovespa fecha acima dos 52 mil pontos pela 1ª vez no ano

 A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou acima dos 52 mil pontos pela primeira vez no ano nesta nesta quarta-feira (1º), impulsionada pela alta das ações da Oi, Eletrobras e Petrobras.
O Ibovespa, principal indicador de ações da bolsa, avançou 2,29% no 1º pregão do mês, aos 52.321 pontos, após acumular queda de 0,84% em março. Veja a cotação
No ano, a bolsa passa a acumular valorização de 4,6%.
As ações preferenciais da Petrobras subiram cerca de 5%, cotadas a R$ 10,21. A última vez que as ações fecharam acima de R$ 10 foi no dia 18 de fevereiro. Os papéis ordinários também avançaram em torno de 5%.
foram um dos principais suportes da alta do dia, em meio a expectativas para a divulgação do seu balanço auditado e após a estatal anunciar que assinou um acordo de financiamento de US$ 3,5 bilhões com o Banco de Desenvolvimento da China (CDB), recursos que devem trazer algum alívio para empresa, que tem tido mais dificuldades de captar recursos por conta da crise decorrente do escândalo de corrupção.
Outros destaques
As preferenciais da Oi subiram mais de 15%, após acionistas da Telemar Participações aprovarem proposta de conversão voluntária de ações preferenciais em papéis ordinários da empresa. A operadora também anunciou que está eliminando 1.070 postos de trabalhoneste mês de abril.


A ação da construtora e incorporadora PDG Realty teve a maior alta percentual do Ibovespa, de 20%, com operadores atrelando o movimento à cobertura de posições vendidas. A ação ainda acumula no ano queda de 30%.
Papéis do setor elétrico também chamaram a atenção na ponta positiva, com destaque para Eletrobras, quue avançou mais de 7%.
Em nota a clientes, o JPMorgan diz que os investidores devem ter uma visão mais otimista com o setor, pois acredita que a Agência Nacional de Energia Elétrica(Aneel) está focada em resolver a questão do déficit de geração hidrelétrica das geradoras e melhorar o retorno dos projetos de transmissão. Os analistas do banco veem também um risco menor de racionamento em 2015 e 2016.
Na contramão, Vale se destacou na ponta negativa, com baixa de mais de 2%, com o preço do minério de ferro caindo abaixo de US$ 50 a tonelada.
A maior baixa do dia foi da Gol, com recuo de mais de 5%.